Categoria: Implantologia

Autores: Duarte F., Ramos C., Mesquita A.

Referência: Aesthetic & Implant Dentistry (Ed. Port.) 2008; 3(3):33-37

Resumo:  A reabilitação da maxila edêntula extremamente atrófica, comporta um grande desafio cirúrgico e protético, para os profissionais que se dedicam a esta área. A abordagem clássica a estes doentes implica o aumento do património ósseo, seja com recurso a enxertos ósseos, técnicas de distracção óssea e outras. Todos estes procedimentos requerem cirurgia extensa e invasiva, por vezes associada a morbilidade nas zonas dadora e receptoras e a reabilitação funcional do doente realiza-se, obrigatoriamente, em dois tempos cirúrgicos.
Com o desenvolvimento dos implantes zygoma por Per-Ingvar Brånemark, dispomos actualmente de uma alternativa às técnicas de enxerto ósseo, utilizando o corpo do osso zigomático como ponto de ancoragem para um implante osteointegrado intraoral. Este procedimento permite ao doente recuperar a função orofacial em apenas um tempo cirúrgico, com elevada predictibilidade, menor morbilidade, tempo de recuperação e custos.

download

Shares
Share This